6 maneiras de reduzir a inadimplência no crediário próprio

Quem trabalha com crediário próprio sabe que o maior risco de adotar esse modelo de pagamento é simplesmente vender e ficar sem receber!

Com certeza você já passou por isso, não é mesmo?

Pois saiba que a inadimplência no crediário é apontada como uma das principais responsáveis pelo aumento no número de consumidores endividados no Brasil.

Número, aliás, que não para de crescer.

Dados do SPC Brasil mostram que a quantidade de consumidores com contas em atraso aumentou 4,41% em 2018, na comparação com o ano anterior.

Em todo o país já são aproximadamente 62,6 milhões de pessoas em situação de inadimplência!

Diante desses números, parece até loucura continuar vendendo no crediário próprio.

Será mesmo?

Como controlar a inadimplência no crediário

Na verdade, eu diria que o problema do lojista brasileiro com os devedores é mais administrativo do que psicológico. 😉

Afinal, é perfeitamente possível ter uma operação de crediário bem-sucedida desde que se adote políticas eficazes para manter a inadimplência sob controle.

Mas você não precisa acreditar em mim.

Para comprovar o que eu digo basta olhar em volta e ver como tem muita gente por aí lucrando alto com as vendas parceladas.

E como será que eles fazem para controlar a inadimplência no crediário?

É simples. Seguindo à risca as seis dicas que compartilho agora com você:

1. Consulte sempre os órgãos de proteção ao crédito

A melhor forma de lidar com a inadimplência é… não tendo inadimplência!

Claro que é impossível trabalhar com vendas a prazo no comércio e receber 100% dos pagamentos em dia.

Não é esse o caso.

O que eu quero dizer é que você precisa se preocupar em controlar a inadimplência antes que ela aconteça.

Para isso, deve estabelecer uma política de cadastramento de clientes que envolva a consulta aos cadastros de proteção ao crédito em entidades como SPC, SCPC e Serasa.

Consultando o CPF do cliente nessas bases de dados você consegue saber se ele já está inadimplente em outros estabelecimentos.

Com esta informação, você pode optar por negar a abertura do crediário ou então restringir as condições de parcelamento para reduzir o risco.

2. Vá além da consulta e invista em análise de crédito

Agora… se você quer mesmo se proteger da inadimplência no crediário, o melhor a fazer é ir além da simples consulta do CPF.

Com a popularização da tecnologia da informação, ferramentas de análise de crédito que antes eram usadas apenas por bancos e financeiras agora estão acessíveis a lojistas e vendedores autônomos.

Existem hoje no mercado diversas soluções que lhe permitem analisar o crédito do cliente no momento da compra.

Além de consultar os órgãos de proteção ao crédito, esses sistemas contam com uma estrutura de big data que agrega informações estatísticas do mercado e dados sobre o histórico do cliente.

Tudo isso acontece em questão de segundos!

Usando a metodologia de credit scoring, os resultados são apresentados de forma simples e rápida, com letras de A a E indicando os diferentes perfis de risco.

A partir daí, o sistema pode sugerir as melhores condições e limites de parcelamento a serem adotados de acordo com a capacidade de pagamento do consumidor.

Assim você fica mais tranquilo para tomar a decisão certa na hora da venda e reduzir a inadimplência no seu crediário!

3. Mostre para o cliente que você se lembra dele

Depois de tomar as devidas precauções com a análise de crédito no momento da compra, é hora de reforçar outras etapas do processo de pós-venda.

Muitas vezes, o fato de não receber um simples lembrete de pagamento acaba incentivando o cliente a ser um mau pagador – afinal de contas, “parece que ninguém está vendo”!

Por outro lado, se o cliente souber que você está acompanhando de perto o cumprimento do contrato de venda, isso por si só já desestimula o calote.

Afinal, um dos motivos mais comuns alegados pelo consumidor para justificar a inadimplência no crediário é ter “esquecido” a data do vencimento da parcela.

Então mostre a ele que você não esqueceu!

Envie um e-mail, um SMS ou um recado no WhatsApp quando as parcelas estiverem próximas do vencimento.

Faça um teste e veja como uma ação simples como esta pode contribuir para reduzir a inadimplência no seu negócio!  

E uma dica extra para quem me acompanhou até aqui:

Usando um sistema de gestão de crediário para automatizar essa tarefa, fica tudo ainda mais fácil! 

4. Cuidado para não fazer cobranças abusivas

Quando falo em cobrança abusiva não estou me referindo ao valor da dívida, mas sim à maneira como o cliente é tratado.

Mostrar que você lembra da dívida é algo bom. Mas mostrar que você está disposto a fazer qualquer coisa para recebê-la, não.

Afinal, você provavelmente espera que os cliente que estão inadimplentes voltem a comprar de você quando estiverem em melhor situação financeira.

Se não espera, está perdendo clientes demais!

Certifique-se de que suas ações de cobrança sejam sempre respeitosas e amigáveis.

Não o exponha o devedor a situações constrangedoras, como informar sua situação de inadimplência a familiares ou colegas de trabalho.

Também não o ameace ou abuse do seu direito de cobrá-lo, divulgando dados pessoais ou judicializando a questão enquanto isso ainda não for necessário.

Você pode ter sucesso na recuperação de crédito sem precisar recorrer a estas práticas abusivas.

Basta seguir o Código de Defesa do Consumidor e manter uma política de cobrança eficiente e profissional.

5. Trate o setor de cobranças com atenção

O setor de cobranças provavelmente é o que enfrenta as situações mais estressantes dentro de qualquer negócio.

Por isso, é importante tratar os funcionários deste setor com atenção, buscando melhorar suas condições de trabalho.

Não se trata de oferecer vantagens, mas de praticar uma gestão humana e sensível às suas necessidades.

Assim você evita que o estresse dos funcionários acabe se transformando em conflitos com os clientes.

Lembre-se da má imagem que a figura do “cobrador” tem no imaginário popular.

Isso se deve à ação de profissionais de cobrança exagerados ou inescrupulosos, que acabam passando uma imagem negativa da loja para a qual trabalham.

O único resultado que eles podem trazer para a sua empresa é deixá-la à mercê de ações por dano moral.

Não esqueça:

Todas as ações de cobrança de inadimplentes devem ser oportunidades para estreitar o seu relacionamento com o cliente.

6. Invista em um sistema de gestão de crediário

Como você já deve ter percebido lendo este artigo, a tecnologia é hoje a principal aliada dos lojistas que desejam reduzir a inadimplência no crediário.

Portanto, se você ainda está na época das fichinhas ou da caderneta de fiado, é hora de adotar um verdadeiro sistema de gestão de crediário para ajudá-lo nessa tarefa.

Com uma plataforma 100% online fica mais fácil integrar as atividades de cobrança com os setores comercial e financeiro, permitindo que todas as informações – históricos de compras, baixa de pagamentos e acompanhamento de cobranças – sejam acessadas em um mesmo lugar.

Busque um sistema que seja capaz de automatizar as três etapas de uma operação de crediário: cadastro, análise de crédito e cobrança.

Assim você terá a ferramenta ideal para implantar todas as dicas deste artigo de forma simples, fácil e eficiente.

Em outro artigo do blog eu falo mais sobre como escolher o sistema de crediário certo para o seu negócio. Vale a leitura!

E você? Como está lidando com os devedores na sua loja? Compartilhe sua experiência nos comentários e continue acompanhando nosso blog para mais dicas sobre como reduzir a inadimplência no crediário.

MC_Whitepaper_Inadimplencia_BannerCTA

Você vai se interessar também

como vender mais nas férias

Como preparar sua loja para vender mais nas férias de verão

Depois do pico de movimento gerado pelas vendas de Natal é hora da sua loja se preparar para entrar em “ritmo de férias”. Mas ...
4 min de leitura | 11/12/2019
abertura de crediário durante o natal

10 dicas para ganhar mais vendendo no crediário neste Natal

A chegada de dezembro e o aumento no fluxo de clientes circulando no comércio criam o ambiente perfeito para impulsionar o crediário ...
5 min de leitura | 06/12/2019
Carnê ou cartão de loja

Carnê ou cartão de loja: qual deles é melhor para o seu crediário?

Quando um lojista decide trabalhar com crediário próprio, é muito comum ficar em dúvida na hora de decidir que modelo de pagamento ...
5 min de leitura | 03/12/2019

Um comentário em “6 maneiras de reduzir a inadimplência no crediário próprio

  1. PAULO MACK ROSENDO DE ARAUJO Responder

    Boa noite, trabalho com crediário em minhas lojas (carnê), a um ano adotei a pratica de envio de SMS, primeiro aniversario, a três mês aviso de vencimento de parcela, agora no inicio deste mês comecei a enviar no dia seguinte SMS de agradecimento pela compra, pretendo já nos próximos dias começar a enviar agradecimento pelo pagamento de parcelas. estou notando um amadurecimento dos clientes em relação a pontualidade. se tiver alguma novidade ou sugestão por favor nos comunique.

Deixe seu comentário sobre o artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!