7 boas práticas de gestão financeira para óticas

Um dos assuntos que mais assustam os gestores é o cuidado com o dinheiro que circula em seu negócio.

Manter uma gestão financeira saudável e promissora, seja com o controle em uma planilha ou em um sistema feito para óticas, é fundamental para o sucesso no comércio.

Relacionar todas a vendas, pagamentos e manter o equilíbrio entre eles, para não gastar mais do que se recebe são itens básicos na organização das finanças. Mesmo parecendo tão simples, muitos gestores cometem erros na gestão financeira da ótica, o que pode levar o negócio por água abaixo.

Para te ajudar a enfrentar esses desafios e fazer uma gestão eficiente para sua ótica, listamos 7 boas práticas para adotar em suas finanças e ver sua ótica lucrar cada vez mais. Confira:

1 – Separe despesas pessoais de despesas da loja

Os seus gastos pessoais sempre devem ser considerados à parte. É recomendável, inclusive, que as contas bancárias sua e da ótica sejam diferentes, para não haver confusões. Defina “o que é da ótica e o que é seu” e faça um controle financeiro desses dois orçamentos.

Assim, você consegue ver a verdadeira situação das suas posses. É por isso que é indicado usar um sistema de gestão específico para ópticas, que te ajude a manter o controle e visão sobre todas as áreas da loja, identificando excessos e solucionando-os da melhor forma.

2 – Tenha um fluxo de caixa bem definido

Lembre-se: todas as vendas e pagamentos feitos, por menores que sejam, devem ser registrados. É isso que irá mostrar quanto você tem disponível e o quanto precisa alcançar. Se você não atualiza diariamente o seu fluxo de caixa, terá sérios problemas.

Isso porque a diferença pode parecer pequena se avaliada em um único dia, mas terá importante representação no resultado mensal. Se você gasta mais do que ganha e não tem noção disso, a gestão financeira da sua ótica não é eficiente e o seu negócio corre riscos.

3 – Defina as formas de pagamento

Pensando na praticidade e na segurança, de acordo com pesquisa da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), 79% dos brasileiros prefere usar cartões de crédito ou débito, ao invés de ter que levar dinheiro na carteira na hora do pagamento de suas compras. Por isso, é muito importante que sua loja ofereça praticidade e formas de pagamento diferenciadas.

Opções como crediário e cheque pré-datado são mais benéficas para a loja e ambas apresentam uma vantagem considerável para os clientes: longos parcelamentos com juros inferiores aos cartões.

Mas qual a diferença entre os dois?

Se o seu cliente possui conta bancária, ele pode te entregar todos os cheques, referentes às prestações, com as datas pré-determinadas e acordadas com a loja para depósito. Já o crediário, ou carnê, não exige a conta e é uma forma de conceder crédito ao seu cliente e dar uma opção mais fácil a ele.

Além de facilitar a vida dos seus clientes, a venda parcelada pode ser uma ótima ferramenta para atrair, manter e fidelizar o público, principalmente se sua loja entende as necessidades dele e oferece benefícios e facilidades para que ele conclua a compra.

E mais: com uma gestão financeira eficiente, você consegue acompanhar os pagamentos e entrar em contato com os clientes para lembrar das parcelas e criar uma relação cada vez mais próxima com ele.

4 – Faça planejamento financeiro

Fazer promoções e ofertas é uma estratégia interessante para atrair novos clientes, mas se você não planejou ou consultou seu estoque, ela pode se tornar em um grande problema, pois você pode perder a margem de lucro e diminuir os recursos para investimento.

Se a loja já estava com as vendas baixas, essa oferta repentina e sem planejamento pode prejudicar ainda mais as finanças.

Lembre-se: promoção é válida, desde que seja planejada e bem calculada.

5 – Acompanhe seu capital de giro

Para que sua ótica se mantenha firme no mercado, é importante ter uma noção precisa de seu capital de giro. É com essa informação que você poderá avaliar as ocasiões de investimento adequadamente.

O capital de giro se refere a um tipo de capital circulante dentro de um negócio. Ou seja, são os recursos disponíveis para usar nas operações do dia a dia ou em situações de urgência, uma reserva.

Esses recursos correspondem àqueles bens que podem ser transformados em capital rapidamente. Exemplos dele são: os produtos em estoque, o dinheiro em caixa e determinadas aplicações financeiras.

6 – Adote o crediário próprio

A maioria dos empreendedores brasileiros (86%) utilizam o crediário próprio para aumentar o lucro das vendas. Mas antes de adotar esse sistema é preciso entender como funcionam as diferentes formas de administrar um crediário

Há o crediário financiado, que é realizado por meio de financeiras; há o garantido, feito por administradoras; e, por fim, o crediário próprio – que não é garantido, mas é seguro (e pode ser mais lucrativo para o seu negócio).

Ressaltamos ainda que antes de escolher o melhor modelo para a sua ótica, é importante que você faça uma análise do perfil de seus clientes, o que pode facilmente ser feito por meio de um sistema de gestão.

7 – Saiba como lidar com a inadimplência

Muitos lojistas, principalmente os que não fazem uma boa gestão do negócio, costumam acreditar que vender a prazo só funciona se for para pessoas conhecidas, por causa da confiança.

No entanto, isso é um risco. As condições devem ser iguais para todos os clientes e, para oferecer crédito, a relação de confiança deve ser mútua.

Por isso, você precisa de uma gestão financeira para óticas que acompanhe o pagamento das parcelas de perto, identificando qual é o perfil de seus compradores e como prever os recebimentos.

A equipe do sistema Meu Crediário fez uma pesquisa entre seus clientes e chegou às seguintes categorias de clientes do crediário, para mostrar quais mais rentabilizam:

  • Pagam adiantado: 11%, que normalmente possuem um grande controle financeiro e prezam pelo nome limpo.
  • Pagam em dia: 58% pagam no dia em que a parcela vence.
  • De 1 a 30 dias de atraso: 75%, não são tão organizados financeiramente, mas prezam pelo nome limpo. São uma oportunidade de criar ações para evitar inadimplência.
  • De 31 a 60 dias de atraso: até os 60 dias, 90% dos seus clientes já regularizaram a situação, mas você já começa a ter custos com negativações e precisa começar a entrar em contato.
  • Mais de 90 dias de atraso: nessa faixa, em média 5% dos clientes ainda estão devendo e precisam ser tomadas ações de cobrança.

Você pode acessar o estudo completo clicando aqui. Isso irá te ajuda a criar estratégias de pontos de contato e relacionamento com sua base de clientes, para evitar ao máximo cair na inadimplência e não perder dinheiro.

Conclusão

Com um sistema de gestão próprio para óticas, você registra todas as transações financeiras da sua loja e fica bem mais fácil e rápido acompanhar as finanças do negócio.

O ssOtica é feito para isso, para te ajudar a resolver os desafios do seu segmento, da melhor maneira possível.

Precisa de uma gestão financeira para óticas eficiente? Experimente o ssOtica gratuitamente e veja na prática como ele irá transformar a gestão financeira da sua loja.


Você vai se interessar também

O que muda com a chegada da Quod, o novo cadastro positivo dos bancos

Você já ouviu falar da Quod, o novo bureau de crédito do Brasil? A Quod é uma empresa controlada pelos cinco maiores bancos ...
5 min de leitura | 18/06/2019
como evitar calotes de clientes

8 dicas para evitar calotes de clientes

O calote é uma ameaça constante para quem vende à prestação. Portanto, se você trabalha com vendas parceladas precisa ...
4 min de leitura | 13/06/2019
risco de crédito no varejo

Risco de crédito no varejo: uma visão estratégica para lojas com crediário próprio

Já falei aqui no blog sobre como fazer gestão de risco de crédito em lojas que trabalham com crediário próprio. Trata-se ...
7 min de leitura | 11/06/2019

7 boas práticas de gestão financeira para óticas

Receba as novidades por e-mail

Um dos assuntos que mais assustam os gestores é o cuidado com o dinheiro que circula em seu negócio.

Manter uma gestão financeira saudável e promissora, seja com o controle em uma planilha ou em um sistema feito para óticas, é fundamental para o sucesso no comércio.

Relacionar todas a vendas, pagamentos e manter o equilíbrio entre eles, para não gastar mais do que se recebe são itens básicos na organização das finanças. Mesmo parecendo tão simples, muitos gestores cometem erros na gestão financeira da ótica, o que pode levar o negócio por água abaixo.

Para te ajudar a enfrentar esses desafios e fazer uma gestão eficiente para sua ótica, listamos 7 boas práticas para adotar em suas finanças e ver sua ótica lucrar cada vez mais. Confira:

1 – Separe despesas pessoais de despesas da loja

Os seus gastos pessoais sempre devem ser considerados à parte. É recomendável, inclusive, que as contas bancárias sua e da ótica sejam diferentes, para não haver confusões. Defina “o que é da ótica e o que é seu” e faça um controle financeiro desses dois orçamentos.

Assim, você consegue ver a verdadeira situação das suas posses. É por isso que é indicado usar um sistema de gestão específico para ópticas, que te ajude a manter o controle e visão sobre todas as áreas da loja, identificando excessos e solucionando-os da melhor forma.

2 – Tenha um fluxo de caixa bem definido

Lembre-se: todas as vendas e pagamentos feitos, por menores que sejam, devem ser registrados. É isso que irá mostrar quanto você tem disponível e o quanto precisa alcançar. Se você não atualiza diariamente o seu fluxo de caixa, terá sérios problemas.

Isso porque a diferença pode parecer pequena se avaliada em um único dia, mas terá importante representação no resultado mensal. Se você gasta mais do que ganha e não tem noção disso, a gestão financeira da sua ótica não é eficiente e o seu negócio corre riscos.

3 – Defina as formas de pagamento

Pensando na praticidade e na segurança, de acordo com pesquisa da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), 79% dos brasileiros prefere usar cartões de crédito ou débito, ao invés de ter que levar dinheiro na carteira na hora do pagamento de suas compras. Por isso, é muito importante que sua loja ofereça praticidade e formas de pagamento diferenciadas.

Opções como crediário e cheque pré-datado são mais benéficas para a loja e ambas apresentam uma vantagem considerável para os clientes: longos parcelamentos com juros inferiores aos cartões.

Mas qual a diferença entre os dois?

Se o seu cliente possui conta bancária, ele pode te entregar todos os cheques, referentes às prestações, com as datas pré-determinadas e acordadas com a loja para depósito. Já o crediário, ou carnê, não exige a conta e é uma forma de conceder crédito ao seu cliente e dar uma opção mais fácil a ele.

Além de facilitar a vida dos seus clientes, a venda parcelada pode ser uma ótima ferramenta para atrair, manter e fidelizar o público, principalmente se sua loja entende as necessidades dele e oferece benefícios e facilidades para que ele conclua a compra.

E mais: com uma gestão financeira eficiente, você consegue acompanhar os pagamentos e entrar em contato com os clientes para lembrar das parcelas e criar uma relação cada vez mais próxima com ele.

4 – Faça planejamento financeiro

Fazer promoções e ofertas é uma estratégia interessante para atrair novos clientes, mas se você não planejou ou consultou seu estoque, ela pode se tornar em um grande problema, pois você pode perder a margem de lucro e diminuir os recursos para investimento.

Se a loja já estava com as vendas baixas, essa oferta repentina e sem planejamento pode prejudicar ainda mais as finanças.

Lembre-se: promoção é válida, desde que seja planejada e bem calculada.

5 – Acompanhe seu capital de giro

Para que sua ótica se mantenha firme no mercado, é importante ter uma noção precisa de seu capital de giro. É com essa informação que você poderá avaliar as ocasiões de investimento adequadamente.

O capital de giro se refere a um tipo de capital circulante dentro de um negócio. Ou seja, são os recursos disponíveis para usar nas operações do dia a dia ou em situações de urgência, uma reserva.

Esses recursos correspondem àqueles bens que podem ser transformados em capital rapidamente. Exemplos dele são: os produtos em estoque, o dinheiro em caixa e determinadas aplicações financeiras.

6 – Adote o crediário próprio

A maioria dos empreendedores brasileiros (86%) utilizam o crediário próprio para aumentar o lucro das vendas. Mas antes de adotar esse sistema é preciso entender como funcionam as diferentes formas de administrar um crediário

Há o crediário financiado, que é realizado por meio de financeiras; há o garantido, feito por administradoras; e, por fim, o crediário próprio – que não é garantido, mas é seguro (e pode ser mais lucrativo para o seu negócio).

Ressaltamos ainda que antes de escolher o melhor modelo para a sua ótica, é importante que você faça uma análise do perfil de seus clientes, o que pode facilmente ser feito por meio de um sistema de gestão.

7 – Saiba como lidar com a inadimplência

Muitos lojistas, principalmente os que não fazem uma boa gestão do negócio, costumam acreditar que vender a prazo só funciona se for para pessoas conhecidas, por causa da confiança.

No entanto, isso é um risco. As condições devem ser iguais para todos os clientes e, para oferecer crédito, a relação de confiança deve ser mútua.

Por isso, você precisa de uma gestão financeira para óticas que acompanhe o pagamento das parcelas de perto, identificando qual é o perfil de seus compradores e como prever os recebimentos.

A equipe do sistema Meu Crediário fez uma pesquisa entre seus clientes e chegou às seguintes categorias de clientes do crediário, para mostrar quais mais rentabilizam:

  • Pagam adiantado: 11%, que normalmente possuem um grande controle financeiro e prezam pelo nome limpo.
  • Pagam em dia: 58% pagam no dia em que a parcela vence.
  • De 1 a 30 dias de atraso: 75%, não são tão organizados financeiramente, mas prezam pelo nome limpo. São uma oportunidade de criar ações para evitar inadimplência.
  • De 31 a 60 dias de atraso: até os 60 dias, 90% dos seus clientes já regularizaram a situação, mas você já começa a ter custos com negativações e precisa começar a entrar em contato.
  • Mais de 90 dias de atraso: nessa faixa, em média 5% dos clientes ainda estão devendo e precisam ser tomadas ações de cobrança.

Você pode acessar o estudo completo clicando aqui. Isso irá te ajuda a criar estratégias de pontos de contato e relacionamento com sua base de clientes, para evitar ao máximo cair na inadimplência e não perder dinheiro.

Conclusão

Com um sistema de gestão próprio para óticas, você registra todas as transações financeiras da sua loja e fica bem mais fácil e rápido acompanhar as finanças do negócio.

O ssOtica é feito para isso, para te ajudar a resolver os desafios do seu segmento, da melhor maneira possível.

Precisa de uma gestão financeira para óticas eficiente? Experimente o ssOtica gratuitamente e veja na prática como ele irá transformar a gestão financeira da sua loja.


Você vai se interessar também

O que muda com a chegada da Quod, o novo cadastro positivo dos bancos

Você já ouviu falar da Quod, o novo bureau de crédito do Brasil? A Quod é uma empresa controlada pelos cinco maiores bancos ...
5 min de leitura | 18/06/2019
como evitar calotes de clientes

8 dicas para evitar calotes de clientes

O calote é uma ameaça constante para quem vende à prestação. Portanto, se você trabalha com vendas parceladas precisa ...
4 min de leitura | 13/06/2019
risco de crédito no varejo

Risco de crédito no varejo: uma visão estratégica para lojas com crediário próprio

Já falei aqui no blog sobre como fazer gestão de risco de crédito em lojas que trabalham com crediário próprio. Trata-se ...
7 min de leitura | 11/06/2019

Deixe seu comentário sobre o artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado.

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!