Crediário ou cheque pré-datado: o que é melhor para sua loja?

Hoje em dia, mesmo com a forte presença dos cartões no varejo, a opção de trabalhar com crediário ou cheque pré-datado ainda se mostra atrativa para muitos lojistas.

Afinal, uma boa parte dos consumidores prefere reservar o cartão para outras despesas ou então não costuma utilizar esse recurso por receio de “se perder nas contas” e pagar juros em excesso.  

Na comparação com o cartão, o pagamento via crediário ou cheque pré-datado apresenta uma série de vantagens que podem ajudá-lo ampliar o público da sua loja.

O principal atrativo, tanto do pré-datado quanto do carnê, é a possibilidade de fazer longos parcelamentos com juros bem inferiores ao mercado de cartões ou até mesmo sem juros.

Outra vantagem desses meios com relação ao cartão é a flexibilidade para a cobrança da primeira parcela. Dependendo do acordo com a loja, o cliente pode combinar uma carência de um ou dois meses para começar a pagar.

Mas é claro que há diferenças entre essas duas formas de pagamento. Neste artigo, falarei mais sobre elas e apresentarei alguns questionamentos para que você possa avaliar que modalidade oferece mais segurança para suas vendas a prazo: crediário ou cheque pré-datado?

Como funciona o cheque pré-datado

Se o seu cliente tem acesso a uma conta bancária, você pode aceitar o pagamento a prazo por meio de uma série de cheques com datas posteriores à efetivação da venda.

No momento da compra, depois de acertar as condições de parcelamento com a loja, o cliente deve deixar todas as folhas já preenchidas e datadas de acordo com o vencimento de cada prestação.

Mas atenção: apesar dos cheques serem entregues à loja todos de uma vez, eles devem ser depositados somente nas datas combinadas, escritas em cada folha.

Se houver dinheiro na conta, o banco não vai impedi-lo de descontar um cheque antes da data marcada. Mas é seu dever respeitar o acordo feito com o cliente!

Até porque, se o cheque for descontado antes do prazo, a sua loja pode ser acionada judicialmente. Desde 2009, a justiça considera dano moral o depósito de um cheque pré-datado antes da data combinada, principalmente se isso contribuiu para deixar o cliente com o “nome sujo” no comércio.

De acordo com um levantamento realizado em 2017 pelo SPC Brasil, cerca de 8% dos brasileiros ainda usam o cheque pré-datado. Entre seus usuários, o pré-datado é utilizado em média nove vezes por ano, e os produtos mais adquiridos são alimentos em supermercados (34%), materiais de construção (20%) e móveis (18%).

Dicas para vender com cheque pré-datado

Garantia de recebimento

O recebimento de um cheque pré-datado deve ser cercado de cuidados especiais quanto à identificação exata de quem o emite, de modo a evitar golpes e falsificações.

Custo financeiro

O cliente que usa o pré-datado está se dispondo a pagar um pouco mais, na forma de juros, pela possibilidade de adquirir um bem ou serviço a prazo. Nesse caso, sua loja pode precificar os produtos já embutindo esses juros (com desconto para quem compra à vista) ou então adicionar a taxa de juros quando a negociação evoluir para a compra com pré-datado.

Controle

Para o lojista que trabalha com cheque pré-datado, a grande preocupação é se organizar para conseguir apresentar todos os cheques ao banco nas datas corretas. Além disso, há ainda a preocupação com a inadimplência e os temidos cheques sem-fundos.

Como funciona o crediário

O tradicional “carnezinho” é uma modalidade de pagamento tradicional e até hoje muito popular no comércio brasileiro. Consiste em conceder crédito para o cliente adquirir produtos na loja mediante pagamento parcelado, utilizando para isso recursos próprios ou de terceiros.

De acordo com a pesquisa do SPC Brasil, 26% dos brasileiros têm o costume de fazer compras no crediário, em especial mulheres (31%) e moradores de cidades do interior (29%). Em média, cada entrevistado possui de uma a duas compras atualmente realizadas no crediário.

Muito utilizado principalmente em lojas de roupas, calçados e ótica, trata-se de uma das formas mais democráticas de acesso ao crédito. Inclusive, uma das principais diferenças do carnê em relação ao cheque é o fato de que não é necessário ter conta bancária para abrir um crediário.

Esse fato apenas já mostra toda a importância do crediário para a economia brasileira. Com ele, torna-se possível viabilizar o consumo de diversos produtos por pessoas que não teriam como comprá-los de outra maneira.

E mais: os varejistas conseguem gerar novas oportunidades de venda e ampliar consideravelmente o público de suas lojas. Tudo porque o crediário permite vender a prazo para uma grande parcela da população que hoje se encontra “desbancarizada”.

Você pode optar por trabalhar com crediário próprio, financiado ou garantido por terceiros.

Não importa a forma de financiamento escolhida, o que realmente vai fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso é a política de crédito da sua loja. Ou seja: os critérios utilizados para definir as condições de financiamento de acordo com a capacidade de pagamento dos clientes.

Nesse caso, recomendo fortemente contar com um sistema especializado em gestão de crediário. Uma ferramenta capaz de fazer a análise de crédito de forma automatizada, combinando informações dos serviços de proteção ao crédito com dados cadastrais e estatísticos para garantir o menor risco para cada venda feita no carnê.

Para finalizar, gostaria de destacar uma outra diferença na comparação com o cheque pré-datado. Algo que, na minha opinião, é um dos trunfos do crediário: a capacidade de gerar retenção e fidelização do cliente!

O simples fato da pessoa ter que retornar à loja todos os meses para pagar o carnê dá ao lojista a chance de estreitar o relacionamento com ela e gerar vendas adicionais.

Dicas para vender no crediário

Garantia de recebimento

Para evitar a inadimplência, é preciso contar com informações de órgãos especializados em segurança de crédito e ter uma política de concessão bem estruturada para avaliar os riscos de cada venda.

Custo financeiro

Se você pretende utilizar recursos próprios para o crediário, tenha consciência que os custos serão maiores de acordo com o prazo de financiamento escolhido.

Controle

Até pouco tempo atrás, para ter o controle adequado dos pagamentos no crediário era preciso ter uma estrutura específica na loja, tanto para a concessão do crédito como para cobrança e recebimento. Isso pode sobrecarregar os custos fixos do negócio. Atualmente, com o auxílio de ferramentas como o Meu Crediário, é possível automatizar boa parte dessas funções e baratear consideravelmente os custos de administrar um crediário.

Mas afinal, devo trabalhar com crediário ou cheque pré-datado?

Diante de tudo que apresentei neste artigo, acredito que você já tenha uma boa noção do que pode ser mais vantajoso para a sua loja. Afinal, ninguém melhor do que você para conhecer seu público e saber que tipo de pagamento ele está procurando.

Ambas são formas tradicionais e consagradas de pagamento entre os consumidores brasileiros. Contudo, apenas uma delas parece não ter parado no tempo.

O modelo de recebimento via pré-datado não mudou muito nas últimas décadas. É um tal de grampear e separar folhas de cheque, na tentativa de deixar tudo organizado e não se atrapalhar nas datas! Isso quando o lojista não se incomoda com golpes, cheques sem fundos e falsidade ideológica…

Em compensação, o crediário deu um salto qualitativo. Aquilo que começou com a caderneta de fiado e os tradicionais arquivos de fichinhas hoje pode ser todo controlado em um ambiente virtual e com informações que antes eram inacessíveis para lojistas de menor porte.

Utilizando recursos estatísticos e algoritmos de inteligência artificial, a qualidade da análise de crédito evoluiu enormemente e hoje é possível ajustar de maneira automática o número máximo de parcelas e o limite de valor de acordo com cada perfil de cliente.

Um sistema como o Meu Crediário possibilita ao lojista ter acesso não apenas a uma análise mais segura, mas também otimiza outras etapas essenciais para o bom funcionamento do crediário, como o cadastro de clientes e a cobrança.  

Portanto, se você não quer ficar parado no tempo, conheça o nosso sistema e invista na profissionalização definitiva do seu crediário!

 

MC_Whitepaper_Inadimplencia_BannerCTA