Qual a função do gerente na gestão de pequenas lojas?

No ambiente do varejo, especialmente entre as empresas de menor porte, é comum o proprietário do negócio ser uma figura extremamente presente na loja.
É ele o responsável por coordenar as atividades diárias da equipe de vendedores, atender todos os fornecedores e, ainda por cima, se comunicar diretamente com os clientes.  

Não há nada de ruim nisso.

A presença e o interesse do proprietário são essenciais para manter uma empresa saudável, principalmente nos seus primeiros anos.

Mas, se tudo der certo e o negócio prosperar, chegará um momento em que o lojista vai precisar aprender a delegar algumas funções do dia a dia para poder focar em aspectos mais estratégicos.

É neste momento que a presença do gerente se torna fundamental.

Por isso é importante que você, como empresário do varejo, saiba muito bem qual a função do gerente. O que esperar desse profissional? Como ele poderá ajudá-lo a crescer e prosperar no comércio?

O que faz um gerente de loja

Basicamente, a função do gerente é ser uma espécie de “representante oficial” da administração da loja perante seus diversos públicos: fornecedores, funcionários e clientes.

É ele que responde pelo bom funcionamento do ponto de venda, pela satisfação do consumidor e pelo desempenho dos vendedores.  

Por isso mesmo, é importante que o gerente tenha pleno conhecimento da missão, visão, valores e estratégias criadas pela empresa e saiba quais são as ações que estão sendo tomadas para atingir as metas traçadas pela administração.

Afinal, ele é o principal responsável difundir e reforçar a cultura organizacional da sua empresa.

Na prática, as funções do gerente incluem abrir e fechar a loja todos os dias, zelar pela organização e pelas rotinas da loja, auxiliar no atendimento ao cliente, fazer recrutamento de vendedores, coordenar e acompanhar as metas de vendas, controlar as entradas e saídas do caixa, entre outras responsabilidades.

O que você deve observar ao contratar um gerente

Ao escolher um profissional para ocupar esta função, é importante observar se ele possui algumas características essenciais para ser um bom gerente:

– Conhecer os pontos principais da operação de uma loja e demonstrar capacidade para liderar equipes;

– Além de saber liderar, também deve ser capaz de avaliar uma equipe de vendas;

– Se manter bem informado sobre novidades do mercado, mudanças no comportamento do consumidor e os novos desafios da gestão varejista;

– Ter conhecimentos sobre gestão de custos, gestão de pessoas, logística e é claro técnicas de vendas.

Resumindo: é preciso combinar conteúdo técnico com relacionamento humano!

Portanto, pense duas vezes antes de pegar o melhor vendedor da sua equipe e tentar transformá-lo em um gerente.

Talvez seja melhor investir primeiro na formação técnica desse profissional ou procurar alguém mais experiente, que já tenha trabalhado na mesma função em outras lojas.

O que os clientes esperam do gerente da sua loja

Se você tem alguma experiência com atendimento no varejo, com certeza já deve ter ouvido reclamações de clientes insatisfeitos que, para terem seu problema resolvido, recorrem àquela frase tão temida pelos vendedores:

– Quero falar com o gerente!

Pois é justamente a ele que todo cliente deve recorrer quando precisar ter uma necessidade atendida ou uma reclamação a fazer.  

Nesse momento, o bom gerente deve sempre se colocar no lugar do cliente e ter habilidade para resolver cada situação da maneira mais adequada.

Para evitar que situações assim aconteçam com frequência, é função do gerente checar se o padrão de atendimento da empresa está sendo mantido. Para isso, ele deve se manter próximo a área de vendas, circulando entre os clientes e observando o comportamento dos vendedores, auxiliando sempre que for solicitado.

Como deve ser a relação do gerente com os vendedores

No que se refere às vendas e ao desempenho dos vendedores, a função do gerente é  motivar e orientar a equipe da loja, identificando pontos a serem melhorados e desenvolver estratégias para buscar melhores resultados.

Um gerente é como se fosse um “espelho” da equipe da loja. Através da qualidade do seu trabalho ele deve ser capaz de melhorar o trabalho de todos.

Para isso, um bom gerente deve procurar atuar como facilitador, retirando barreiras que prejudicam os resultados do grupo. Todos devem tê-lo como uma pessoa que está ali para ajudar tanto a loja quanto o funcionário.

A principal qualidade de um gerente de loja chama-se liderança!

É preciso saber liderar para poder inspirar os vendedores a atingir metas e objetivos, cobrar resultados, detectar falhas e premiar acertos.

Mas só liderança não basta.

É preciso ser organizado e ter um método para otimizar os resultados da equipe. E isso só se consegue mantendo indicadores de desempenho de cada vendedor e os acompanhando de perto ao longo do tempo.

Como o gerente deve encarar as metas de vendas

Outro desafio imposto aos gerentes no varejo são as metas de vendas. Como já ouvi falar por aí, um bom gerente deve “acordar, trabalhar e dormir” com a meta na cabeça.

E é bem por aí mesmo!

Todos sabem que, para obter resultados financeiros e manter o negócio crescendo, toda loja deve ter metas de vendas bem definidas, estipuladas em projeções do desempenho semanal, mensal ou até anual.

Com o aumento da concorrência e a pressão por resultados cada dia mais forte, a responsabilidade do gerente só vem aumentando. Para que ele consiga atender essa demanda, é essencial o uso de ferramentas estatísticas que permitam acompanhar o desempenho dos vendedores e da loja como um todo.

Esse controle mais aprofundado dos dados de vendas permite ao gerente orientar e corrigir desvios apresentados pelos vendedores em certos indicadores. Com isso, é possível trabalhar caso a caso para desenvolver as habilidades dos profissionais e assim atingir os objetivos da loja.

A importância do gerente para a saúde financeira da loja é ainda maior para os varejistas que vendem no crediário próprio. Pois o gerente nesse caso vai precisar se concentrar também na qualidade das vendas a prazo e não apenas no seu volume total.

Afinal, uma coisa é dizer que fechou uma venda de R$ 500 com um cliente.

E outra coisa completamente diferente é saber quando esses R$ 500 reais vão realmente entrar no seu caixa.

Concorda?

Então continue comigo e confira o artigo a seguir:

O papel do gerente no sucesso do seu crediário

Authored by: Jeison I. Schneider

CEO do Meu Crediário.