O que é Provisão para Devedores Duvidosos (PDD)?

Vender no crediário próprio é essencialmente uma questão de confiança, concorda? Você oferece a facilidade do parcelamento para poder vender mais, com base no compromisso de pagamento firmado com cada cliente.

Para ganhar mais, você assume o risco da inadimplência.

E pode ter certeza: esse risco nunca vai deixar de existir.

O que você precisa é aprender a conviver com ele. Saber como se prevenir e como se proteger.

Para a prevenção, o melhor caminho é investir na análise de crédito. Só assim você consegue reduzir a inadimplência “na fonte”, ou seja, no momento de aprovar o limite do crédito e definir o número de prestações.

Mas eu já falei muito sobre isso em outros artigos aqui no blog.

Aliás, se você me acompanha sabe que eu também costumo dizer que é não existe essa conversa de “vender com inadimplência zero”.

Mesmo tomando todas as medidas para reduzir os riscos na hora da venda, você sempre terá que lidar com um certo índice de perdas decorrentes da inadimplência.

São clientes que não só deixam de pagar, como também não respondem às tentativas de cobrança e recuperação de crédito. Prejuízo puro e simples.

Nesse caso, além de se prevenir, você precisa de ferramentas para se proteger dos prejuízos que a inadimplência VAI causar no caixa da sua loja.

E hoje vou falar de uma delas:

A Provisão para Devedores Duvidosos (PDD)

A Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) é uma reserva de valores, feita antes do início de cada exercício contábil, que servirá para cobrir uma eventual inadimplência dos clientes.

A ideia é deixar a loja protegida para suportar as perdas financeiras causadas por dívidas não recebidas durante aquele período.

Na contabilidade, uma provisão nada mais é do que é um lançamento de valor como se fosse uma despesa, sem que ainda seja. Embora não se caracterize como despesa incorrida, é contabilizada como se fosse uma expectativa de despesa futura.

Ou seja: é como um “colchão financeiro” para que a sua loja possa enfrentar a inadimplência que está por vir.

Como calcular a Provisão para Devedores Duvidosos (PDD)?

Como vimos, a Provisão para Devedores Duvidosos é uma ferramenta estratégica que deve ser usada com muito critério e planejamento, sempre com o auxílio do contador da empresa.

Por isso, calcular a PDD é um esforço que deve envolver tanto os vendedores quanto o setor de cobrança da sua loja.

Como seu cálculo depende de saber avaliar estimativas de pagamentos, o ideal é contar com colaboradores que estão em contato direto com os clientes e podem ajudá-lo a projetar melhor as chances de quitação dos valores.

Com base na avaliação da equipe e no histórico de vendas do seu crediário, você pode aplicar o nosso método para medir o índice de inadimplência da sua loja. Assim será possível ter uma boa ideia de quando você está perdendo com a falta de pagamentos.

Quando mais dados você tiver sobre a inadimplência do seu negócio ao longo do tempo, mais condições terá de estimar corretamente a inadimplência futura.  

No lado contábil, cabe explicar que a Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) sofreu uma grande mudança nos últimos anos e passou a ser chamada de Perdas Estimadas em Créditos de Liquidação Duvidosa (PECLD).

Atualmente existem dois critérios para calcular a PECLD: perdas esperadas ou perdas efetivas. Converse com seu contador para encontrar a melhor solução para a sua loja.

E se você quer saber mais sobre como o modelo de provisionamento de perdas de crédito vem sendo utilizado em empresas do varejo, recomendo a leitura da dissertação de mestrado de Luis Otavio Pavan Hatamoto, apresentada no curso de Administração de Empresas da FGV.

Caso esteja sem tempo (ou disposição) para esse tipo de leitura, que tal encaminhar o link para o seu contador?

Seu crediário agradece!

😉