Crediário e capital de giro: a chave para uma loja super vendedora

Quem administra uma loja sabe que é do capital de giro da empresa que devem sair todos os recursos necessários para manter o negócio funcionando: da reposição de estoque ao pagamento de salários.

Mas quando o lojista decide vender no crediário próprio, o capital de giro assume um outro papel de grande relevância:

Financiar o consumo dos clientes.

Diante disso, compreender a relação entre crediário e capital de giro de maneira estratégica torna-se fundamental para garantir a saúde financeira da sua loja.

Lembre-se:

Investir de forma responsável e ficar de olho na gestão do fluxo de caixa é tão importante quanto ter mercadoria para vender.

Com isso em mente, não tenha receio de fazer uso do capital de giro para alavancar as vendas no crediário próprio.

Te garanto que isso vai trazer um diferencial competitivo sustentável para sua loja a curto e longo prazo.

Quanto preciso de capital de giro para iniciar o crediário?

Essa é uma pergunta que, na verdade, eu gostaria de ouvir mais frequentemente de lojistas interessados em trabalhar com crediário próprio.

Se você já se fez esse questionamento, parabéns!

Ter um planejamento adequado é fundamental para todo lojista que pretende começar a oferecer crediário mas não quer buscar empréstimo no sistema financeiro.

Se você está iniciando no crediário, precisa entender a necessidade de alocar um volume de recursos para custear seus clientes durante o período de parcelamento.

A conta não é tão simples, pois provavelmente você vai trabalhar com prazos de parcelamento diferentes.

Parte do valor das compras vai entrar em 30 dias, enquanto outras parcelas vão entrando em 60, 90, 120 dias…

É natural que isso crie um descompasso entre as suas vendas e os seus recebimentos.

Pensando nisso, criamos uma planilha para ajudar você a calcular o valor necessário para iniciar, de forma saudável, um crediário de sucesso.  

Vamos começar?

Primeiro clique aqui para baixar a planilha!

Em seguida, assista o vídeo onde eu explico como utilizá-la:

Como iniciar o crediário com pouco capital de giro?

Se você ainda é inexperiente nas vendas a prazo, ouça quem trabalha há mais de 10 anos com isso:

O crediário próprio é uma excelente ferramenta para promover o crescimento da sua loja!

E mesmo com um capital de giro apertado, seu negócio também pode se beneficiar dessa forma de pagamento.

Acredite, existem ferramentas fantásticas para analisar o perfil de risco do cliente.

Procure por soluções que vão além da simples consulta da situação cadastral do CPF e entreguem uma análise de crédito completa para você.

Sistemas frente de caixa, conhecidos também como sistema de PDV para lojas, normalmente não fazem este tipo de análise. Então você deve buscar algo mais específico.

Se a sua loja tem menos capital disponível, recomendo iniciar seu crediário aos poucos.

Mas fique atento. Isso não significa que você deve começar vendendo apenas para “conhecidos”. Esse seria um erro muito grande!

Quando vendemos somente para conhecidos, o crediário se torna algo informal e sem regras claras do funcionamento, tornando a experiência muito ruim tanto para você quanto para seus clientes.

Por isso, algumas lojas buscam por financeiras que proporcionam o serviço de crediário garantido. Mas esse modelo não costuma ser o mais vantajoso para lojas com ticket médio menor, entre R$ 100 e R$ 600.

Três dicas práticas para começar a vender no crediário

Para ajudar você a dar início ao seu crediário próprio, fiz uma lista rápida com algumas dicas de como introduzir esta nova forma de pagamento no dia a dia do seu negócio.

Confira:

1. Informe o consumidor

Informe na vitrine da loja e nas etiquetas de produtos que agora você possui uma nova forma de parcelamento. Deixe claro, em um lugar bem visível na loja, que todos os clientes estão sujeitos a análise de crédito.

2. Faça parcelamentos menores

Não tente imitar a concorrência! Faça melhor o que você pode fazer melhor. Ou seja: comece com parcelamentos mais curtos, de no máximo quatro vezes. Apenas quando seu capital de giro estiver mais robusto, aumente para seis vezes ou mais.

3. Busque por bons clientes

Se você tiver acesso a um sistema de análise de crédito, poderá vender apenas para clientes com baixo risco de inadimplência!

Veja como o sistema Meu Crediário consegue fazer este tipo de análise de forma simples e rápida, no momento da venda:

E o que fazer com a inadimplência?

Muitos lojistas, especialmente quem tem menos capital de giro disponível, têm medo de vender no crediário pois acham que vão perder o controle da inadimplência e acabar no prejuízo.

Mas isso hoje é passado!

Uma situação que só acontece com quem é muito desorganizado.

Se você trabalhar com regras claras na liberação do crédito, emitir o carnê para o cliente e pegar assinatura do mesmo no momento da compra, estará deixando acordado todo processo de concessão de crédito.

Agora… se você ainda anota tudo na caderneta ou na fichinha, saiba que o seu negócio está pelo menos 30 anos atrasado e logo a concorrência vai tirar você do mercado.

A inadimplência é algo inevitável para quem vende parcelado, isso não podemos negar.

Mas o que você precisa entender é que ela pode perfeitamente ser controlada em níveis considerados “saudáveis”.

Para uma loja de calçados e confecção, por exemplo, isso quer dizer que a inadimplência de 180 dias não pode ser superior a 4,5%.

Aqui me cabe acrescentar (sem nenhuma modéstia) que a média das lojas desse segmento que trabalham com o sistema Meu Crediário é de 3,83%. 😊

E por que conseguimos ajudar tantos lojistas a atingir essa meta?

Porque toda loja que trabalha com nossa plataforma conta com a melhor análise de risco do cliente e um sistema com total controle do cadastro da loja e das ações de cobrança.

Pensando em implantar o Meu Crediário no seu negócio?

Clique aqui e ganhe 7 dias de acesso grátis ao nosso sistema!

Um abraço e boas vendas!

Você vai se interessar também

O que muda com a chegada da Quod, o novo cadastro positivo dos bancos

Você já ouviu falar da Quod, o novo bureau de crédito do Brasil? A Quod é uma empresa controlada pelos cinco maiores bancos ...
5 min de leitura | 18/06/2019
como evitar calotes de clientes

8 dicas para evitar calotes de clientes

O calote é uma ameaça constante para quem vende à prestação. Portanto, se você trabalha com vendas parceladas precisa ...
4 min de leitura | 13/06/2019
risco de crédito no varejo

Risco de crédito no varejo: uma visão estratégica para lojas com crediário próprio

Já falei aqui no blog sobre como fazer gestão de risco de crédito em lojas que trabalham com crediário próprio. Trata-se ...
7 min de leitura | 11/06/2019

Crediário e capital de giro: a chave para uma loja super vendedora

Receba as novidades por e-mail

Quem administra uma loja sabe que é do capital de giro da empresa que devem sair todos os recursos necessários para manter o negócio funcionando: da reposição de estoque ao pagamento de salários.

Mas quando o lojista decide vender no crediário próprio, o capital de giro assume um outro papel de grande relevância:

Financiar o consumo dos clientes.

Diante disso, compreender a relação entre crediário e capital de giro de maneira estratégica torna-se fundamental para garantir a saúde financeira da sua loja.

Lembre-se:

Investir de forma responsável e ficar de olho na gestão do fluxo de caixa é tão importante quanto ter mercadoria para vender.

Com isso em mente, não tenha receio de fazer uso do capital de giro para alavancar as vendas no crediário próprio.

Te garanto que isso vai trazer um diferencial competitivo sustentável para sua loja a curto e longo prazo.

Quanto preciso de capital de giro para iniciar o crediário?

Essa é uma pergunta que, na verdade, eu gostaria de ouvir mais frequentemente de lojistas interessados em trabalhar com crediário próprio.

Se você já se fez esse questionamento, parabéns!

Ter um planejamento adequado é fundamental para todo lojista que pretende começar a oferecer crediário mas não quer buscar empréstimo no sistema financeiro.

Se você está iniciando no crediário, precisa entender a necessidade de alocar um volume de recursos para custear seus clientes durante o período de parcelamento.

A conta não é tão simples, pois provavelmente você vai trabalhar com prazos de parcelamento diferentes.

Parte do valor das compras vai entrar em 30 dias, enquanto outras parcelas vão entrando em 60, 90, 120 dias…

É natural que isso crie um descompasso entre as suas vendas e os seus recebimentos.

Pensando nisso, criamos uma planilha para ajudar você a calcular o valor necessário para iniciar, de forma saudável, um crediário de sucesso.  

Vamos começar?

Primeiro clique aqui para baixar a planilha!

Em seguida, assista o vídeo onde eu explico como utilizá-la:

Como iniciar o crediário com pouco capital de giro?

Se você ainda é inexperiente nas vendas a prazo, ouça quem trabalha há mais de 10 anos com isso:

O crediário próprio é uma excelente ferramenta para promover o crescimento da sua loja!

E mesmo com um capital de giro apertado, seu negócio também pode se beneficiar dessa forma de pagamento.

Acredite, existem ferramentas fantásticas para analisar o perfil de risco do cliente.

Procure por soluções que vão além da simples consulta da situação cadastral do CPF e entreguem uma análise de crédito completa para você.

Sistemas frente de caixa, conhecidos também como sistema de PDV para lojas, normalmente não fazem este tipo de análise. Então você deve buscar algo mais específico.

Se a sua loja tem menos capital disponível, recomendo iniciar seu crediário aos poucos.

Mas fique atento. Isso não significa que você deve começar vendendo apenas para “conhecidos”. Esse seria um erro muito grande!

Quando vendemos somente para conhecidos, o crediário se torna algo informal e sem regras claras do funcionamento, tornando a experiência muito ruim tanto para você quanto para seus clientes.

Por isso, algumas lojas buscam por financeiras que proporcionam o serviço de crediário garantido. Mas esse modelo não costuma ser o mais vantajoso para lojas com ticket médio menor, entre R$ 100 e R$ 600.

Três dicas práticas para começar a vender no crediário

Para ajudar você a dar início ao seu crediário próprio, fiz uma lista rápida com algumas dicas de como introduzir esta nova forma de pagamento no dia a dia do seu negócio.

Confira:

1. Informe o consumidor

Informe na vitrine da loja e nas etiquetas de produtos que agora você possui uma nova forma de parcelamento. Deixe claro, em um lugar bem visível na loja, que todos os clientes estão sujeitos a análise de crédito.

2. Faça parcelamentos menores

Não tente imitar a concorrência! Faça melhor o que você pode fazer melhor. Ou seja: comece com parcelamentos mais curtos, de no máximo quatro vezes. Apenas quando seu capital de giro estiver mais robusto, aumente para seis vezes ou mais.

3. Busque por bons clientes

Se você tiver acesso a um sistema de análise de crédito, poderá vender apenas para clientes com baixo risco de inadimplência!

Veja como o sistema Meu Crediário consegue fazer este tipo de análise de forma simples e rápida, no momento da venda:

E o que fazer com a inadimplência?

Muitos lojistas, especialmente quem tem menos capital de giro disponível, têm medo de vender no crediário pois acham que vão perder o controle da inadimplência e acabar no prejuízo.

Mas isso hoje é passado!

Uma situação que só acontece com quem é muito desorganizado.

Se você trabalhar com regras claras na liberação do crédito, emitir o carnê para o cliente e pegar assinatura do mesmo no momento da compra, estará deixando acordado todo processo de concessão de crédito.

Agora… se você ainda anota tudo na caderneta ou na fichinha, saiba que o seu negócio está pelo menos 30 anos atrasado e logo a concorrência vai tirar você do mercado.

A inadimplência é algo inevitável para quem vende parcelado, isso não podemos negar.

Mas o que você precisa entender é que ela pode perfeitamente ser controlada em níveis considerados “saudáveis”.

Para uma loja de calçados e confecção, por exemplo, isso quer dizer que a inadimplência de 180 dias não pode ser superior a 4,5%.

Aqui me cabe acrescentar (sem nenhuma modéstia) que a média das lojas desse segmento que trabalham com o sistema Meu Crediário é de 3,83%. 😊

E por que conseguimos ajudar tantos lojistas a atingir essa meta?

Porque toda loja que trabalha com nossa plataforma conta com a melhor análise de risco do cliente e um sistema com total controle do cadastro da loja e das ações de cobrança.

Pensando em implantar o Meu Crediário no seu negócio?

Clique aqui e ganhe 7 dias de acesso grátis ao nosso sistema!

Um abraço e boas vendas!

Você vai se interessar também

O que muda com a chegada da Quod, o novo cadastro positivo dos bancos

Você já ouviu falar da Quod, o novo bureau de crédito do Brasil? A Quod é uma empresa controlada pelos cinco maiores bancos ...
5 min de leitura | 18/06/2019
como evitar calotes de clientes

8 dicas para evitar calotes de clientes

O calote é uma ameaça constante para quem vende à prestação. Portanto, se você trabalha com vendas parceladas precisa ...
4 min de leitura | 13/06/2019
risco de crédito no varejo

Risco de crédito no varejo: uma visão estratégica para lojas com crediário próprio

Já falei aqui no blog sobre como fazer gestão de risco de crédito em lojas que trabalham com crediário próprio. Trata-se ...
7 min de leitura | 11/06/2019

Um comentário em “Crediário e capital de giro: a chave para uma loja super vendedora

  1. Pingback: Quais as vantagens de se unir a um concorrente no varejo?

Deixe seu comentário sobre o artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado.

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!