O que é cadastro positivo e como ele pode ajudar sua loja a vender melhor

Apesar de ter sido criado por uma lei de 2011 e estar em vigor desde 2013, o cadastro positivo nunca esteve tão em evidência quanto agora. 

Desde o dia 9 de julho de 2019, uma nova lei permite o repasse automático das informações de histórico de pagamento aos bureaus de crédito como SPC e Serasa. 

É a consolidação de um modelo de cadastro positivo compulsório, onde não é mais necessária a aprovação prévia do consumidor para que seus dados relativos a pagamentos sejam incluídos nestes bancos de dados. 

Esse fato, aliado à chegada da Quod, com certeza vai tornar o cadastro positivo cada vez mais relevante para as empresas que trabalham com concessão de crédito. 

E isso inclui a sua loja!

Para os lojistas que trabalham com crediário próprio, a ampliação do uso do cadastro positivo pode representar uma nova (e importante) fonte de informações para balizar sua análise de crédito

Neste artigo, vou falar sobre as mudanças trazidas pela nova lei do Cadastro Positivo e como elas vão influenciar a qualidade das suas vendas no crediário

Vamos lá?

Antes de tudo, precisamos entender como funciona esse modelo de cadastro e no que ele é diferente do atual modelo baseado na negativação do cliente.

No vídeo a seguir eu falo um pouco mais sobre essas diferenças. Dê uma olhada:

O que é cadastro positivo?

Aqui estão as definições para cadastro positivo:

• O cadastro positivo é um banco de dados que reúne informações sobre o pagamento de contas de consumo ao longo do tempo, com o objetivo de formar um histórico de crédito do consumidor.

• Diferente de outros modelos de cadastro creditício, ele não se baseia nos registros de inadimplência e sim em uma avaliação dos pagamentos realizados dentro de um determinado período. 

• Em outras palavras, o foco do cadastro positivo não é identificar quem está com o “nome sujo” na praça. É valorizar quem costuma pagar em dia.

Como funciona o cadastro positivo?

Segundo a nova lei do cadastro positivo, os bureaus de crédito agora podem avaliar todos os “dados financeiros e de pagamentos, relativos a operações de crédito e obrigações de pagamento adimplidas ou em andamento” sem autorização prévia do consumidor.

Ou seja: a inclusão se tornou automática para todos os cidadãos com um CPF.

Com base nestas informações são atribuídas notas de crédito (também conhecida como credit score) para cada consumidor. Estas notas servirão de referência para decisões referentes a tomada de empréstimos e vendas no crediário.

O volume de dados que passou a ser acessível pelos bureaus inclui informações sobre atraso de contas de consumo ou cartão de crédito, bem como sobre dívidas que existem em nome do consumidor e até informações creditícias de familiares em primeiro grau.

Com base nesses dados, cada empresa deve definir que atitudes tomar na gestão do seu crediário. Isso passa por restringir vendas para perfis de alto risco ou oferecer condições e taxas de juros diferenciadas, entre outras decisões estratégicas.

Credit score: A ferramenta que reduz a taxa de devedores da sua loja

Benefícios da adesão compulsória

Com a adesão compulsória ao cadastro positivo, especialistas avaliam que será possível incluir no mercado de crédito mais de 20 milhões de “desbancarizados”. 

Ou seja: milhões de brasileiros que estão fora do mercado de crédito por não terem conta em banco e não terem como comprovar sua capacidade de pagamento a eventuais credores.

Agora, mesmo sem ter conta no banco, o consumidor que paga suas contas em dia terá como comprovar seu histórico de bom pagador.

Outra expectativa do mercado é que o novo cadastro positivo traga mais competitividade e provoque uma queda nas taxas de juros. 

Contudo, esse efeito só deve surgir com o tempo pois é necessário acumular um grande volume de informações para poder traçar um histórico mais preciso dos pagamentos de cada consumidor. 

Informações bancárias ainda estão de fora 

Por enquanto, o cadastro positivo compulsório ainda terá algumas restrições para funcionar. 

Por falta de regulamentação, diversos mecanismos do novo modelo de cadastro não entraram em vigor na data de promulgação da lei.

O uso de informações de bancos e instituições financeiras, por exemplo, ainda não está liberado. Os bureaus de crédito só terão acesso a elas depois que de passar por um credenciamento junto ao Banco Central.

Por enquanto os bureaus vão trabalhar o cadastro positivo com dados de outras fontes, como empresas que possuem fluxo contínuo de pagamento (companhias de luz, água, teles e redes de varejo).

Que vantagem isso traz para a sua loja?

Na verdade, você como lojista não precisa se preocupar em construir seu próprio cadastro de bons pagadores. 

Isso, é claro, deve ficar a cargo da empresa financiadora do seu crediário.

Se você trabalha com crediário próprio, pode utilizar o cadastro organizado pelos órgãos de proteção ao crédito e também por algumas empresas que fornecem soluções de tecnologia.  

Atualmente, apenas instituições autorizadas pelo Banco Central podem usar esse tipo de informação para análise de crédito. 

Mas com a mudança na lei, a permissão para gerir um cadastro positivo em breve deve ser ampliada para empresas financeiras que usam tecnologia para prestar serviços personalizados, as chamadas fintechs

Ou seja:

Se você utiliza um sistema automatizado para administrar seu crediário, pode esperar mudanças para melhor agora que as novas regras do cadastro positivo entraram em vigor. 

Afinal, com acesso ao histórico de pagamentos dos consumidores, o serviço de análise de crédito que você utiliza tende a se tornar ainda mais preciso. 

O que nós esperamos com esta mudança

Aqui na Meu Crediário, percebemos muito cedo que a expansão do cadastro positivo seria uma tendência forte no mercado de crédito e consumo. 

Tanto que, em 2015, fizemos uma viagem técnica para conhecer o modelo de credit score do país mais consumista do mundo: os Estados Unidos. Desde então, inspirados nesse método de pontuação, criamos modelos próprios de análise de crédito que já seguem os mesmos princípios do cadastro positivo

Como já fazemos a análise baseada no histórico de pagamentos do consumidor, ter acesso a mais fontes de consulta nos permitirá refinar ainda mais os resultados e oferecer condições melhores de financiamento para quem paga sempre em dia.  

Se tudo correr como esperam os defensores do novo modelo, a tendência é que as mudanças no Cadastro Positivo aumentem a concorrência na oferta de crédito. 

Isso significa mais competidores nesse mercado e mais qualidade na tomada de decisão sobre financiamentos, empréstimos e compras a prazo. 

É esperar para ver.

Um abraço e até a próxima!

Como fazer uma análise de crédito

Você vai se interessar também

como vender mais nas férias

Como preparar sua loja para vender mais nas férias de verão

Depois do pico de movimento gerado pelas vendas de Natal é hora da sua loja se preparar para entrar em “ritmo de férias”. Mas ...
4 min de leitura | 11/12/2019
abertura de crediário durante o natal

10 dicas para ganhar mais vendendo no crediário neste Natal

A chegada de dezembro e o aumento no fluxo de clientes circulando no comércio criam o ambiente perfeito para impulsionar o crediário ...
5 min de leitura | 06/12/2019
Carnê ou cartão de loja

Carnê ou cartão de loja: qual deles é melhor para o seu crediário?

Quando um lojista decide trabalhar com crediário próprio, é muito comum ficar em dúvida na hora de decidir que modelo de pagamento ...
5 min de leitura | 03/12/2019

Deixe seu comentário sobre o artigo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!

A inadimplência não te deixa dormir?

Análise de crédito, cobranças automáticas e negativação de inadimplentes, tudo no mesmo sistema, tudo rápido e fácil.
Chega de preocupações!